O QUE VOCÊ VÊ POR AI?

postado em: Artigos | 0

Vivemos em um mundo globalizado. As distâncias foram superadas pelos navios, trens bala e aviões. Sem contar na velocidade dos meios de comunicações. A televisão mostra o que acontece no outro lado do mundo, enquanto dirigimos ouvimos uma boa reportagem no rádio e a internet disponibiliza gratuitamente, para o mundo todo, conteúdo em quantidade impossível de ser totalmente absorvido. Sem falar nos meios de comunicação direta, como: telefonemas, e-mails, mensagens instantâneas de texto e áudio.

Estamos conectados em tudo e a todos. Essa imensa exposição a todas as coisas pode ser extremamente benéfica. Como é bom que o Google encontre rapidamente um tutorial de como fazer aquilo que temos dúvidas de como realizar.

Todavia, toda transformação social, traz consigo perigos. Nesse mundo ao alcance das pontas dos dedos, corremos o perigo de não filtrar aquilo que pode nos confundir.

Pois, inevitavelmente, quando ouvimos de tudo quanto é tipo de coisa; de pessoas que não estão de fato comprometidas com a nossa vida e crescimento, mas em aumentar o número de views e popularidade;
todo discurso é válido. Até mesmo aquele que parece ser fundamentado na verdade, mas é apenas conhecimento humano.

Sobre tais perigos, Paulo alerta: Tenham cuidado para que ninguém os tornem escravos por meio de argumentos sem valor, que vêm da sabedoria humana. Essas coisas vêm dos ensinamentos de criaturas humanas e dos espíritos que dominam o Universo e não de Cristo. Colossenses 2.8

Toda a palavra de Cristo liberta, todo argumento deve ampliar nossa vitória contra o pecado; nos aproximando de Deus e das pessoas. Se há alguma palavra que te afasta da comunhão real com o corpo de Cristo e as Sagradas escrituras; CUIDADO! Talvez não passe de argumentos escravizantes, que nos fazem acomodar em um estilo de vida que não é melhorado diariamente, pela ação de Jesus, o qual não nos compromete com o outro.

Que o Senhor nos dê discernimento e sabedoria para encontrar argumentos que nos desafiem a nos comprometer mais com Jesus, em seu estilo de vida, abrindo mão da inércia e das desculpas.

Pr. Rodrigo Dalla Costa