MORTE NA PANELA

postado em: Artigos | 0

O profeta Eliseu viveu num momento de adversidades para o povo de Deus e, nesse contexto, exerceu um ministério profético relevante. Muitos milagres não apenas
atestaram a sua autoridade e a palavra que proclamada, mas livraram muitos da morte.

Um exemplo destes ocorreu em um episódio em Gilgal, quando reunido com um grupo dos seus discípulos, o profeta ordena que preparem um cozinhado para uma refeição. Um deles saiu a campo e, sem discernimento, colheu um tipo de legumes chamado colocíntida, não tendo a menor ideia da gravidade do que estava colhendo e das consequências. Quando o sopão estava pronto para servir, gritaram: morte na panela! As colocíntidas envenenaram a sopa. Então, Eliseu operou um milagre, restaurando a comida.

Discernimento é uma palavra chave na vida e significa a capacidade de avaliar e compreender situações, separando, com bom senso e juízo, o certo do errado.

Vivendo num mundo de tantas oportunidades, todos nós recebemos inúmeras propostas, temos livre acesso a tudo e podemos consumir o que bem entendemos. Todavia, sem, corremos o risco de consumir o que nos “envenena”. O apóstolo Paulo nos exorta: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm; todas são lícitas, mas nem todas edificam” (I Co. 10:23).

Sem discernimento, podemos ser enganados:

• Pelas aparências. As colocíntidas colhidas eram parecidas com os legumes saudáveis.
• Pelas boas intensões. Aquele discípulo não quis envenenar o grupo.

Mais do que nunca precisamos fazer uso do discernimento para, com autoridade, estabelecer juízo sobre o que é certo e o que é errado, o que vai acrescentar bênção
à vida, à família e aos relacionamentos.

O milagre que profeta Eliseu operou naquele episódio, é o mesmo que Deus deseja operar em quantos desejam se submeter as suas vidas à Sua abençoada direção.

Pr. Valdemar de Souza