ABBA

postado em: Artigos | 0

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor (Rm 6:23)

Neste domingo, em muitas casas, os filhos darão ao papai uma camisa pólo, ou uma camisa do time do coração, ou umas meias… e, o que é mais importante, um olhar nos olhos, um sorriso, um abraço, algumas palavras, tudo para tentar expressar amor, carinho, gratidão.

Mas haverá lares com um lugar não ocupado à mesa e com um grande vazio nos corações. Poderá ser o lugar de um filho, cuja ausência o pai lamentará com um profundo suspiro, numa saudade e num desejo de que momentos de alegria com o filhinho pudessem ser revividos ou mesmo vividos pela primeira vez. Ou poderá ser o lugar de um pai que não está mais presente na família, porque foi roubado por um acidente ou uma doença, ou porque simplesmente um dia se levantou e saiu para não mais voltar.

Ah, como gostaríamos que não houvesse lugares vazios à mesa e nos corações nesse dia e em nenhum outro. Como gostaríamos que as famílias pudessem viver em amor e contentamento, com um pai que ama e que é amado… Como seria maravilhoso estar numa mesa com filhos e pais na plenitude da felicidade…

Ah, Senhor, por que isso não é assim? Por que neste domingo haverá choro, saudades, arrependimento? Por que há doenças, brigas, rompimentos? Todas essas perguntas se resumem numa só, que fala da razão de todo sofrimento: “Por que há morte?”. Por que há morte de relacionamentos, porque há morte física, porque há morte de esperança, de alegria, de amor?

Os cristãos já sabem a resposta dessa pergunta: conforme o Espírito Santo ensina, por meio de Paulo, na Carta aos Romanos, a morte é consequência do pecado, é o salário do pecado.

Mas, louvado seja Deus, nosso Paizinho querido, porque também sabemos que os relacionamentos que foram rompidos, que o filho que se foi, que o pai que já não está mais à mesa, todos podem ser restaurados em vida abundante, porque Ele, nosso Abba, nos dá o dom gratuito da vida, em Cristo Jesus, conforme o Espírito também fala na mesma passagem.

Se assim como eu você também olhará para um lugar vazio à mesa neste domingo, façamos o seguinte: depois de um suspiro de saudade, enchamos o peito e abramos um largo sorriso de esperança, porque virão tempos de descanso da parte do Senhor, de nosso Paizinho, pois Ele mandará o Cristo, o Filho, quando tiver restaurado todas as coisas. Todas!

Feliz dia dos pais, Abba, Amado da minh’alma.

Pr. Wagner Lopes